Plasma de Argônio: Quando é indicado?

O plasma de argônio é um procedimento endoscópico de cauterização que visa reduzir o diâmetro da anastomose – conexão entre o estômago e o intestino oriunda da Cirurgia Bariátrica Bypass. Consequentemente, obtém-se a redução da fome e o aumento da saciedade. Contudo, para quem é indicada a terapia com plasma de argônio?

A Terapia com Plasma de Argônio

Em média, uma sessão de plasma de argônio dura 30 min, sendo o procedimento realizado em um ambiente hospitalar preparado e sob sedação, aos cuidados do anestesiologista.

A maioria dos pacientes não relata absolutamente nada durante o procedimento, somente uma sensação de “queimação” ou gases… Contudo, o processo ambulatorial leva somente 30 minutos. Na maioria das vezes não há a necessidade de internamento.

No entanto, são necessárias até 3 sessões intervaladas de até 8 semanas – de acordo com a avaliação do seu médico. Ademais, o procedimento pode melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes.

Para quem é Indicada a Terapia?

Dentre as indicações para a terapia com plasma de argônio estão inclusos:

– Pacientes submetidos ao Bypass Gástrico e que não perderam a quantidade de peso prevista;
– Pacientes que perderam a quantidade de peso prevista, mas que obtiveram uma recidiva (reganho de peso);

Existem Contraindicações para o Plasma de Argônio?

O procedimento não está indicado quando não há dilatação da anastomose, ou em casos de úlceras, anéis próximos a anastomose e uso crônico de medicamentos como corticoides. Outras condições de risco também incluem o risco de sangramento aumentado.

Além disso, o procedimento é contraindicado caso o paciente não faça as mudanças necessárias em dieta e comportamento que auxiliam no tratamento, como restrição de alimentos calóricos como doces e álcool e pratica de atividades físicas regulares.

Alguma Dúvida? Entre em contato com a Clínica Endoscopia Ecoville e saiba mais!

Agende sua consulta

Endoscopia Ecoville – Cirurgia Bariátrica
☎️ (41) 3156-0141
📱 (41) 41 9107-6249 | WhatsApp
🏡 Hospital INC – R. Jeremias Maciel Perretto 300, Ala C, Campo Comprido, Curitiba PR

Assuntos Relacionados

Balão Intragástrico: Quando é necessário?

O Balão Gástrico é um tratamento endoscópico para emagrecimento, isto é, sem a necessidade de cortes ou incisões. No procedimento, coloca-se uma bola de silicone – com o paciente sedado – para diminuir o volume estomacal disponível e potencializar a perda de peso. No entanto, muitos se perguntam: “Quando é necessário o Balão Intragástrico?”, Descubra a seguir!

Para quem é recomendado o uso do Balão Gástrico?

– Pacientes com Obesidade mórbida (grau 3) que optam pela não realização da Cirurgia Bariátrica;
– Pessoas em preparação para a Cirurgia Bariátrica, plástica, ortopédica, cardíaca, etc.;
– Pacientes sem indicação de cirurgia, mas com sobrepeso (Obesidade grau 1).

Quanto peso pode ser perdido?

Entre os períodos de 6 meses a 1 ano, o balão intragástrico potencializa a perda de peso de até 20% do peso inicial. Entretanto, os resultados podem variar de acordo com a adoção, ou não, das orientações médicas tanto em relação à dieta quanto às atividades físicas.

Existem Contraindicações para o Balão Intragástrico?

– Pacientes com doenças gástricas graves como varizes e úlceras;
– Pessoas que foram submetidas à cirurgia antirrefluxo e/ou Bariátrica;
– Quem por algum motivo não puder submeter-se à sedação profunda;

Quando e como se faz a retirada do Balão?

Entre o período de 6 meses a 1 ano após a inserção, sob sedação profunda, retira-se o balão – bola de silicone – via cirurgia endoscópica. Tem-se em vista que, caso o balão permaneça mais tempo há risco de perfuração do balão, expondo seu conteúdo.

Alguma Dúvida? Entre em contato com a Clínica Endoscopia Ecoville e saiba mais sobre o Balão Intragástrico!

Alguma Dúvida? Entre em contato com a Clínica Endoscopia Ecoville e saiba mais sobre o Balão Intragástrico!

Balão Intragástrico: Quando é necessário?

“Balão Intragástrico: Quando é necessário?”

Agende sua consulta

Endoscopia Ecoville – Cirurgia Bariátrica
☎️ (41) 3156-0141
📱 (41) 41 9107-6249 | WhatsApp
🏡 Hospital INC – R. Jeremias Maciel Perretto 300, Ala C, Campo Comprido, Curitiba PR

Assuntos Relacionados

Sangue nas fezes

A presença de sangue nas fezes, quer seja vivo ou detectado num exame chamado sangue oculto, nunca é normal e precisa ser investigada. Enquanto a presença de sangue num exame chamado sangue oculto pode indicar qualquer sangramento deste a boca até o ânus, o sangue vivo nas fezes normalmente se relaciona a doenças do intestino grosso e ânus. Várias são as doenças que podem se manifestar com sangramento nas fezes, desde hemorroidas ou fissuras anais até doenças de maior gravidade, como doença diverticular, doenças inflamatórias intestinais, pólipos e até mesmo câncer. Normalmente o diagnóstico exato só pode ser estabelecido após exames minuciosos, entre eles estão a endoscopia digestiva alta (para sangramentos que se manifestem normalmente pela boca), Retossigmoidoscopia e/ou colonoscopia para sangramentos do trato digestório inferior (cólon, reto, ânus). Além de diagnósticos, muitas vezes estes métodos tornam-se terapêuticos, podendo-se esclerosar ou clipas vasos com sangramento por exemplo, ou ainda proceder-se à ligadura elástica de varizes ou hemorroidas com sangramento.

Dieta para Balão

Os balões intragástricos são dispositivos que promovem em média 15% a 20% de perda de peso. São colocados por endoscopia, num procedimento rápido e indolor. Representam um grande auxílio para aqueles pacientes com dificuldade de perder peso.

Atividade física regular e cuidados de dieta são sempre importantes, principalmente após a retirada do balão.

Os cuidados com a dieta começam 24h antes da colocação do balão. Instruímos os pacientes a que façam uma dieta líquida com água, chás, caldos e sucos coados, para diminuir os efeitos de náuseas e desconforto abdominal, logo após o procedimento. Oito horas antes orienta-se jejum.

Após a colocação do balão, assim que o paciente recuperar-se da sedação, orientamos 50 ml de líquidos, ingeridos lentamente, a cada 30 minutos. Assim procede-se por 48 horas.

Serão 10 dias de dieta líquida, seguidos por dois dias de alimentos pastosos e então cinco dias com alimentos cozidos.

Completado este período de quase 20 dias passa-se à uma dieta geral, individual para cada paciente. Evita-se, no entanto, líquidos calóricos, doces, refrigerantes,bebidas alcoólicas e alimentos muito moles e que não exijam mastigação. Tais alimentos prejudicam o resultado do tratamento, por não colaborarem com a sensação de saciedade, tão importante para a redução no volume de calorias ingerido.

Fiz a bariátrica e voltei a ganhar peso – o que fazer?

A perda insuficiente de peso ou recidiva de parte do peso após cirurgias bariátricas pode ocorrer em torno de 15% dos casos.

O insucesso, mesmo que parcial, deve ser tratado por uma equipe de cirurgia bariátrica, com vários profissionais: psicólogo, nutricionista, endocrinologista e cirurgião/endoscopista.

Alguns métodos endoscópicos têm se mostrado eficazes no alívio do sofrimento e frustração deste insucesso, mesmo após uma cirurgia bariátrica. Entre eles destacam-se a SUTURA ENDOSCÓPICA e o PLASMA DE ARGÔNIO.

O plasma de argônio tem sido empregado em nosso meio há quase dez anos. É indicado para pacientes de cirurgia de BYPASS ou CAPELLA.

Através de uma endoscopia, com o paciente sedado, aplica-se o LASER DE ARGÔNIO, ao redor da comunicação entre o pequeno estômago e o intestino. Isto promove um fechamento parcial desta comunicação, após cada sessão (em média são feitas 3 a 4 sessões).

Este tratamento não necessita internação e em média o paciente perde de 12 a 20% do peso total, ao final do tratamento.

A sensação da saciedade que havia logo após a cirurgia é restabelecida. A frustração do insucesso é controlada e o paciente consegue restabelecer seus vínculos com a equipe de cirurgia bariátrica, retomando o controle da obesidade, que deve ser pela vida toda.